Google+ Followers

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

I M A G I N A Ç Ã O






Esferográfica e crayon sobre papel
Pavão misterioso



Esferográfica sobre papel

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Portal de Brandenburg







Grafite sobre papel

Deixo registrada aqui a minha homenagem aos 20 anos da queda do muro de Berlin


segunda-feira, 9 de novembro de 2009

L I B E R T É





Água forte e água tinta
Calcogravura para capa de livro em Luxemburgo







Água forte e água tinta, Paris, 2000

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Piás e cão





Caneta-nanquim sobre papel
"Escuta, eu não quero contar-te o meu desejo
Quero apenas contar-te a minha ternura
Ah se em troca de tanta felicidade que me dás
Eu te pudesse repor-Eu soubesse repor-
No coração despedaçado
As mais puras alegrias de tua infância!"
Manoel Bandeira


CHOVE CHUVA





Esferográfica sobre papel
A chuva chove...

A chuva chove mansamente... como um sono
Que tranqüilize, pacifique, resserene...
A chuva chove mansamente... Que abandono!
A chuva é a música de um poema de Verlaine...
E vem-me o sonho de uma véspera solene,
Em certo paço, já sem data e já sem dono...
Véspera triste como a noite, que envenene
... Num velho paço, muito longe, em terra estranha,
Com muita névoa pelos ombros da montanha...
Paço de imensos corredores espectrais,
Onde murmurem, velhos órgãos, árias mortas,
Enquanto o vento, estrepitando pelas portas,
Revira in-fólios, cancioneiros e missais...
Cecília Meireles


T R A N S F I G U R A Ç Ã O






Esferográfica sobre papel


F I R E





Aquarela sobre papel

Quelle est la fin de tout ?

Quelle est la fin de tout ? la vie, ou bien la tombe ?
Est-ce l'onde où l'on flotte ? est-ce l'ombre où l'on tombe ?
De tant de pas croisés quel est le but lointain ?
Le berceau contient-il l'homme ou bien le destin ?
Sommes-nous ici-bas, dans nos maux, dans nos joies,
Des rois prédestinés ou de fatales proies ?
Ô Seigneur, dites-nous, dites-nous, ô Dieu fort,
Si vous n'avez créé l'homme que pour le sort ?
Si déjà le calvaire est caché dans la crèche ?
Et si les nids soyeux, dorés par l'aube fraîche,
Où la plume naissante éclôt parmi des fleurs,
Sont faits pour les oiseaux ou pour les oiseleurs ?
Victor HUGO (1802-1885)


V Ô O



Técnica mista sobre tela

"Investigate my life and make me clean, shine upon the darkest place in me

To you my life's an open book, so turn the page and take a look

Upon the life you've made, always, my days, I'll praise
Fly away, where heaven calls my name,

Fly away, I'll never be the sameInvestigate, I can't wait, Excavate, recreate."

Delirious?

QUALQUER H I S T Ó R I A



Nanquim sobre papel
"Como um anoitecer profundo,
Como um oco no meio do mundo,
Como a hora do fim, que chega de repente,
Como um sonho ruim, quando se está doente:
É a vida que vem na sua trajetória a nos surpreender.
Muda nossa história em desencanto e padecer,
Mas faz bem ao coração o fato de saber
Que é na escuridão que o sol começa a aparecer."
Toquinho
H I S T Ó R I A QUALQUER


Nanquim sobre papel
PRETO VELHO




Guache sobre papel
"Aquele preto, tão preto
Com aquela barba branca, tão preta
E aquele olhar tão meigo
De quem espera ganhar
Um sorriso incolor"
(Secos e molhados)
N E G U I N H O





Guache sobre papel

"Upa neguinho na estrada, upa pra lá e pra cá
Vigi que coisa mais linda, upa neguinho começando a andar
Começando a andar, começando a andar, e já começa a apanhar
Cresce neguinho me abraça, cresce me ensina a cantar
Eu vim de tanta desgraça mas muito eu te posso ensinar
Capoeira, posso ensinar
Ziquizira, posso tirar
Valentia, posso emprestar
Liberdade só posso esperar"
Elis Regina



AU MÉTRO





Lavis de acrílico sobre tela
"J’ai cessé de prendre le métro
J’peux plus sentir le clan urbain métro, boulot, dodo,
Les trafic jam à n’en plus finir,
Les bruits qui m’empêchent de dormir,
Les bonhommes verts à chaque coin de rue,
La pollution moi j’n’en peux plus.
Je marche vers un nouveau chemin
La campagne change systématiquement mon quotidien
Mon épicier s’trouve au Métro
Je regarde pousser les bouleaux
Et c’est sur un accord de do que je vous dit à bientôt."

Ginette


S u r v e i l l a n c e





Lavis de acrílico sobre tela
"Cameras on every street corner to survey the public
City streets under 24 hour surveillance
Police now decide what information may be disclosed
A monopoly of control with no accountability
The media claims people who don’t break laws
Will ‘feel safe’ under scrutiny
The right wing think tanks claim ‘criminals’
Can be identified visually"
Iskra